domingo, 3 de junho de 2012


A 2 meses da partida, os sentimentos comecam a se confundir. Eu tinha um proposito pra vir pra onde eu vim que por ironia do destino acabou nao se concluindo. Mas acabei decidindo continuar o segundo ano de au pair por ser a escolha mais sensata no momento. Eu poderia ter largado tudo aqui e voltado pro Brasil, passar um bom tempo ao lado da familia e sem dor de cabeca com host family nem tendo que aturar criancas choronas e mimadas. Mas infelizmente nao podemos tomar certas atitudes antes de mensurar as consequencias dessas no futuro. Por isso, aguentar mais uns meses nessa dura vida de au pair foi a escolha mais sabia.

Nao tenho a melhor host family ever nem a pior. Eles me respeitam por assim dizer, mas respeito foi uma palavra que eu aprendi aqui ser uma palavra muito complexa. Nem sempre o que pra voce e respeito, para as outras pessoas tambem vai ser. Um exemplo:

A familia estava fazendo janta enquanto eu estava dando banho e botando os bebes pra dormir. Depois que dei as mamadeiras e botei nos bercos, desci pra pegar minhas coisas que estavam na cozinha e eles ainda estavam cozinhando o jantar. Geralmente eles me oferecem e talz mas dessa vez nao falaram nada. Peguei minhas coisas e subi pro meu quarto. Eles almocam 5:30-6 da tarde e sabem que eu nao como esse horario mas geralmente guardam o que sobrou na geladeira(antigamente faziam um prato e deixavam na ilha da cozinha pra mim). Quando deu umas 7 da noite eu desci e dei de cara com a host na cozinha, que olha pra mim e fala na maior calma: "- Nao sobrou nada da janta mas tem bastante salada na geladeira(leia-se sacos de alface)."
Demorei um tempo pra processar a informacao. So respondi um ok. Abri a geladeira e peguei o que sobrou do meu almoco, esquentei e comi.
Na minha opiniao, se eu realmente sou parte da familia como ela sempre diz quando vao fazer alguma viagem(e precisam levar alguem pra cuidar dos bebes enquanto eles passeiam, ou seja, fica no hotel/casa trancada), eu acho que no minimo deveriam guardar nem que fosse uma pequena porcao pra mim pq eles sabiam que eu estava no meu quarto e que nao saio dia de casa dia de semana. Ou comprassem a quantidade de comida para  3 pessoas ao inves de 2. Ou se nao tivesse sobrado nada da janta, nem desse ao luxo de falar isso na minha cara sem ao menos ter um "I'm sorry" ao fim da frase. Eu geralmente nao desco do meu quarto esperando que tenham deixado algo pra mim, passei a cozinhar minha propria comida pra nao ter esse tipo de incoviniente.
Ai eu lembrei la do Brasil, que nao importa quem quer que seja que chegue na nossa casa da hora do almoco/janta e a gente sempre amigavelmente oferece um prato de comida, pq nao eh educado nao convidar a pessoa(mesmo que muitas vezes vc convide apenas por educacao). Ou entao os pedreiros quando estao trabalhando la em casa, minha mae sempre fazia um cafezinho a tarde e oferecia uns biscoitos.

E onde entra a parte do respeito nessa historia toda? Eu me senti totalmente desrespeitada pelo modo que ela disse que "nao sobrou nada da janta". Ja ela disse isso com o maior tom de naturalidade, como se estivesse fazendo o favor de me avisar pra nao ter o trabalho de procurar as sobras na geladeira pq nao tinha. O que pra ela foi uma atitude normal, pra mim foi falta de respeito e consideracao.

Outro exemplo foi do dia que ela voltou do jantar(eles saem muito pra jantar fora e eu nao vou pq fico com os bebes, claro) e me deu uma caixinha com um leftover korean bbq pasta. Sim, ela me trouxe o leftover do jantar dela e me deu a caixinha com o maior sorriso nos labios. E vc pode pensar: "ah, os pratos aqui geralmente sao grandes e ela pode ter colocado uma porcao no prato dela e nem tocado no leftover". Conheco as pessoas dessa casa e sei que cada um tem um gosto. Eles nao pegaram pratos pra dividir entre eles. E mesmo o leftover vc usa o seu garfo/colher pra colocar dentro da caixinha ou vc acha que ela deve ter se dado ao trabalho de pegar um garfo nao usado pra enfiar o leftover na caixinha. Mesmo na melhor das hipoteses(o leftover nao ser o resto do prato dela e ela nao ter usado o proprio garfo pra colocar dentro da caixinha) continua sendo leftover. Se eu sou parte da familia e nao pude ir junto pra jantar com eles, o minimo seria trazer algo pra eu comer, nao? Nao, eles nunca trazem nada pra eu comer. No comeco isso me fazia sentir super mal, mas passei a ignorar e viver por mim mesma. Se trouxerem algo, bem senao, tenho minha propria comida.

Mais uma vez eu me senti super desrespeitada mas ela disse novamente com a maior naturalidade. Eu olhava para aquela caixinha pensando "ja que nao tem cachorro em casa, traz pra au pair mesmo ne?". Quando contei pro meu pai ele ficou puto e achou o maior absurdo. Eu jamais ofereceria meu leftover para alguem que nao fosse meu pai, mae ou irma por ser uma coisa totalmente pessoal. Mas cada um com seus conceitos neh?

Qual a parte boa da minha host family entao? Eles compram comida, me pagam extra e moram em SF.
Se isso compensa a parte ruim? Nao, mas e o que temos pra hoje(e pro mes que vem e o outro)
Postado por Suellen domingo, junho 03, 2012 3 comentários

domingo, 3 de junho de 2012

3 comentários:

Nadja disse...

Hm... essas coisas são mesmo complicadas. Na Holanda, minha HM jogava fora tudo que sobrava, mesmo que ainda estivesse na panela e que ninguém tivesse tocado, então eu guardava e comia de almoço (pq eles não almoçam, comem um café da manha menor).

Conhecendo a minha Host por exemplo, se ela me trouxesse um leftover de algum lugar, eu teria certeza de que era limpo e que ela tinha feito questão de separar tudo e que nunca seria do prato dela. Mas por algumas vezes eles lembraram de me trazer algo diferente que tinham comido para que eu experimentasse também, ou algo que uma das kids não quis e o HF ficou com dó de jogar fora, eu não ligava... conhecia eles e sabia que não seria nada "porco".

O que acho triste na sua situação é você saber que aquilo era mesmo um leftover ou ao menos, que existe essa possibilidade vinda dos Hs. Mas eu entendo muito bem essa coisa de o que pé respeito pra um pode não ser pro outro... aqui em casa, eu e meu namorado vivemos aassim... e olha que somos dois brasileiros!!!

Camille disse...

oi suellen! eu vou pra brattleboro, vermont e queria umas dicas suas! uma amiga au pair sua que me falou de vc, a larissa campos! mande notícias!
bjs

Kely Vargas disse...

E froid! Esta questao de eles comerem e nao oferecerem para a Au Pair ja aconteceu comigo com a primeira familia com quem morei. Fiquei com muita raiva e me sentindo super mal. E desse dia em diante eu me toquei que nao era parte da familia deles coisa nenhuma. Era so a AuPair. Fazer o que ne? Boa sorte no seu segundo ano, querida! Beijos! Estou te seguindo. Siga-me la no meu blog tambem, se ainda nao estiver, please. =) http://kely-aupair2010.blogspot.com/

  • RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Youtube

Tags

família application au pair agência cultural care faculdade ligação host family match online creche crianças viagem blog dúvidas meses novidades partida visto ano novo chegada despedida espera feeling inglês presentes segundo ano GAP aniversário cabelos carro compras desânimo feelings. schedule fim formatura frança férias last time lista merda mestrado perguntas processo vida Brasil Natal US acidente agencia agradecimentos amor angústias atualização ausência blog viagem blogger burrice cachos calor candidaturas carta check-list ciclos circo começo confusing consultas contato conversa crise depressões detalhes dia dia-a-dia dirigir dispensada documentos dor driving emails embarque emergência entrega entrevista escolhas esmaltes estrangeiro estágio europa experiência extensao exterior extranet fantasia fases do processo fazer mala feelings ferias fist post flashback flight flores gastos ginecologia guia do estrangeiro halloween horas de experiência host mom hostfamilies ideia imaginação inverno kit embarque lccs livro login mala meeting mente mico mimos morte mudança mudanças música nada neve notre-dame novo blog nível de inglês olimpíadas otimismo pagamento palestra pasaporte passado passaporte pensamento pensamentos personal letter pid planejamento planned parenthood planos posts primavera problemas promoção páscoa pérolas regras renovação respeito respostas resumo sentimentos site sonho superação teste teste de inglês to be or not to be trabalho training school travel guides trânsito usa vergonha vermont viagem com a família video visita voltando últimos momentos